Sábado, 03 de Dezembro de 2022, 19:06h

Simpósio multiprofissional debate cuidados maternos infantis com profissionais da saúde

Publicado em: Sábado, 27 de Junho de 2015, 17:46h - Por: Redação
O presidente do Crefito14, Marcelino Martins, participou da abertura do Simpósio Multiprofissional em Cuidados Maternos Infantis do Centro de Ciências da Saúde da Universidade Estadual do Piauí (Uespi). O evento propôs a interdisciplinaridade e a parceria entre os cursos de fisioterapia, enfermagem, farmácia e nutrição. Neste sábado (27), o fisioterapeuta e conselheiro do Crefito14, Ricardo Amorim, irá proferir uma palestra sobre os benefícios da fisioterapia aquática aplicada ao período gestacional. O evento acontece no auditório do Centro de Ciências da Saúde (Facime), às 14h30, próximo à Avenida Frei Serafim. Para Marcelino Martins, a fisioterapia e a terapia ocupacional vivem uma nova fase no Piauí e as universidades têm papel fundamental neste processo. “São com os universitários que começamos a formação profissional. O Conselho apoia e estimula eventos científicos por acreditar que a produção de conhecimento atualiza as práticas profissionais. A proposta da multidisciplinaridade sugerida pela diretora Andrea Lima, vai de encontro aos projetos do Ministério da Saúde que já incluem em suas equipes, profissionais de saúde de diversas áreas”, avalia. A diretora do Centro de Ciências da Saúde da Uespi (CCS), a fisioterapeuta Andrea Lima, destaca que ações do Centro, a partir de agora, serão integradas. “A Facime está completando 15 anos e um de nossos projetos nesta nova gestão é trabalhar a multidisciplinaridade. Todos os saberes de todas as profissões da área da saúde são essenciais para que a oferta dos serviços de saúde em nosso Estado seja de excelência. Além disso, o incentivo a pesquisa e a extensão também fazem parte de nosso projeto. Queremos reforçar o conceito do Piauí como centro de referência para pesquisas na área da saúde”, pontua. A fisioterapeuta Laysa Monte, conduziu uma das palestras na abertura do evento e falou sobre o Método Canguru e como os profissionais da fisioterapia podem contribuir para a saúde das gestantes e do recém nascido. “O método prolonga as chances de vida da mãe e da criança e reduz as taxas de mortalidade. A assistência ao parto, através dos cuidados específicos que a fisioterapia proporciona em parceria com outras áreas a exemplo, da enfermagem, nutrição é responsável pelos números positivos de bebês que nascem saudáveis em nossa capital”, pondera. A fisioterapeuta e presidente do Simpósio, Lilian Melo Fortaleza, destaca que o debate esclarece aos universitários as metas do Ministério da Saúde que prevê até o final de 2015 a redução em dois terços dos números de mortalidade infantil registrados em 1990. “O Brasil tem conseguido, através das políticas públicas para a saúde da mulher, reduzir os índices de mortalidade infantil. Os programas de aleitamento materno, de vacinação e da Rede Cegonha são alguns exemplos”, completa. A fisioterapeuta Fabiana Carvalho, coordenadora do curso de Fisioterapia da Uespi, reforçou a importância da consciência multiprofissional para os futuros fisioterapeutas, nutricionistas, farmacêuticos e enfermeiros. Erlane Brito da Silva, Coordenadora do curso de enfermagem da Uespi endossa a proposta da diretoria do CCS. “Os serviços de saúde são complementares”, destaca.